quarta-feira, setembro 13, 2006

Equipamentos de apoio ao idoso são a aposta de hoje e de amanhã

O envelhecimento da população, aliado à procura constante de uma maior qualidade de vida leva a que seja necessário criar respostas para as pessoas que, sem condições para poderem ficar sozinhas nas suas casas, tenham um lugar que as acolha e que lhes proporcione bem-estar, conforto e onde elas não se sintam sós.

Apesar do Governo já se ter apercebido deste facto, e até já ter avançado com o anúncio de incentivos nesta área, na realidade ainda existem muitos locais onde as pessoas não encontram um sítio onde possam desfrutar daqueles que podem ser considerados «os melhores anos das suas vidas». Atentos a isso têm estado alguns empresários que têm vindo a apostar na abertura de equipamentos para receber os idosos, fornecendo-lhes diversos serviços, para além do acolhimento e da alimentação, como cuidados de saúde e actividades lúdicas.

E é aqui que pode estar a solução, nas parcerias que poderão vir ser criadas entre os sectores público e privado, como forma de garantir que todas as pessoas tenham direito a viver em espaços dignos. A alimentação, os cuidados de saúde, as actividades de animação, tudo isto pode ser enriquecido se dos dois lados houver empenho e cooperação.

Num artigo de Elisabete Gonçalves, publicado no Jornal Terras da Beira, o director do Centro Distrital de Segurança Social, Pires Veiga, sublinha que as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) são «parceiros privilegiados» e que sem essa colaboração não seria possível ao Estado dar resposta às necessidades das pessoas mais velhas.

Refira-se que no caso particular da Guarda, em 2050, 25% da população do distrito da Guarda terá mais de 65 anos. Segundo o relatório que serviu de base à criação da Rede de Cuidados Continuados Integrados para Pessoas Idosas, em 2001, mais de 3% da população do distrito tinha mais de 75 anos e vivia sozinha.

Trata-se de uma situação que no panorama nacional não é muito diferente e por isso urge que as instituições aproveitem os investimentos privados para criar parcerias e apostar neste tipo de projectos.

O importante é que sejam criados espaços de qualidade para acolher aqueles que ainda querem desfrutar dos «prazeres da vida» - de um passeio no campo, de um jogo de cartas, de uma conversa - algo que é muito mais agradável quando partilhado.

5 Comments:

At 11:13 da manhã, Blogger jtdc said...

Este artigo mostra que todos precisamos de abrir os olhos para o que se passa no nosso país, para que os idosos não paguem pelos erros dos mais novos, muitas vezes esquecidos da sua existência.

 
At 3:48 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Penso que ajudar as pessoas na fase mais madura das suas vidas é muito importante numa sociedade cada vez mais rápida e negligente. Concordo perfeitamente – e ao mesmo tempo lanço o apelo – com o incentivo às parcerias público-privadas no que diz respeito à criação de estabelecimentos que possam acolher os mais velhos de uma forma confortável, segura e socialmente saudável.

 
At 3:52 da tarde, Anonymous Fernanda - Ass. Social said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
At 3:56 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Criar condições de qualidade humanas e técnicas deveria ser uma prioridade de todos nós.
Apostar em infraestruturas e equipamentos que tornem esta fase da idade uma passagem leve, bonita e boa é fundamental!
Luisa, Alcacer do Sal

 
At 11:42 da manhã, Anonymous Anónimo said...

É importante que se pense que um dia os que são hoje idosos foram aqueles que trabalharam e deram o seu melhor.

É justo que quando as forças faltem, quando se precisa de cuidado, depois de já se ter cuidado de outros, é justo dizia eu que se seja apoiado.

Sugiro que visitem também

http://violada_mas_nao_
vencida.blogs.sapo.pt/
2006/11/01/

a propósito de idosos.

Como achei interessante o vosso artigo tomei a liberdade de adicionar vosso Blogue ao meu. Espero que não se importem.

Bem hajam

Alexandra Caracol

 

Enviar um comentário

<< Home